Os benefícios do botox vão muito além do fim das rugas.
Embora seja conhecido por aliviar as marcas do tempo no rosto, ele tem várias finalidades.

O botox veio como uma solução eficaz para resolver aquele velho incômodo das rugas faciais e as marcas do tempo na pele. Mas, muito além da estética, ele também tem fins terapêuticos e é um importante aliado contra as dores crônicas, o excesso de suor e até a depressão.

É que a toxina botulínica tem o poder de agir no foco de dores agudas, aliviando o incômodo. Para quem sofre desse mal, é uma importante saída, afirma a neurologista Vanessa Loiola, do Hospital Meridional.

“Muitos pacientes acabam desenvolvendo quadros de depressão secundária, relacionada às dores fortes que eles sentem. E isso altera o humor e a personalidade da pessoa, com o passar do tempo. O botox pode ajudar a melhorar esse incômodo. É a função mais eficaz dele”, explica a médica.

Além disso, outros males comuns atualmente também podem ser amenizados com a utilização da toxina no tratamento.

“Hoje em dia o botox é usado para várias coisas. Ele está se firmando como uma importante medicação para tratar a enxaqueca e a fibromialgia. Também usamos muito para tratar pessoas que ficaram com o corpo rígido após um AVC e em crianças que nascem com falta de oxigênio no cérebro”, pontua Vanessa Loiola.

Outros fins
A dermatologista Karina Mazzini explica que em várias especialidades médicas o botox aparece como uma importante solução para alívio de dores.

“Ele tem muitos benefícios em todas as áreas da saúde, principalmente na dermatologia, na ortopedia e na neurologia”.

Para a dermatologia, o principal uso é para amenizar as rugas de expressão. “Ele é imbatível nos efeitos positivos na testa e ao redor dos olhos. E muitos pacientes dizem que quando trato a testa, eles têm melhora na enxaqueca. Entram no consultório para ficar com o rosto esticadinho e saem sem dor de cabeça”, diz a médica.

A outra indicação dermatológica é para conter o suor excessivo. “O tratamento é muito eficaz e consegue conter a hiperidrose nas axilas, nos pés, nas mãos e na virilha”, resume a dermatologista.

Fonte: gazetaonline.com.br